(I)mobilidade nas Américas. Covid-19

Este é um projeto (in)acabado, portanto, em constante construção, que reflete coletivamente em torno da (I)mobilidade e do controle nas Américas durante a pandemia. Buscamos mapear as respostas estatais; as situações de alerta que são enfrentadas pela população migrante, particularmente deslocadxs internos, deportadxs, detidxs, solicitantes de asilo, refugiadxs, migrantes irregularizadxs, adultxs ou crianças e adolescentes; e as respostas sociais em cada um dos espaços nacionais. Ao mapear, não pretendemos produzir uma cartografia fixa do continente e menos ainda informações georreferenciadas. No contexto deste projeto, mapear tem tido outros significados. Por um lado, objetiva levantar informação da imprensa, sistematizá-la e criar um arquivo digital onde fique registrada a tensão entre (I)mobilidade e controle registrada na grande maioria dos países do continente durante o momento inicial da pandemia. Por outro, inspirados na cartografia crítica, mapear tem implicado “desconstruir o mapa” (Harley, 1989), ou a imagem nítida que oferece a cartografia tradicional do continente, para colocar em evidencia os espaços ocultos, os conflitos não vistos nem captados pela imprensa, mais latentes; esses conflitos que deliberadamente ficam fora de um mapa tradicional e, por sua vez, do debate público. 

Como navegar neste site?

1

Por situações comuns nas Américas: no mapa do continente se iluminarão os países onde estão se produzindo essas situações comuns junto com uma breve explicação que pode ser aprofundada diretamente na seção correspondente. Em torno de cada situação comum serão realizados diálogos virtuais cujas datas serão anunciadas no site. 

2

Por espaço nacional: se abrirá uma ficha que contém informação específica por país em torno a: 

  • Dados sobre pobreza

  • Dados dos padrões migratórios por país 

  • Dados de contágios de Covid-19

  • Medidas estatais adotadas 

  • Alerta de situações críticas de população em condição de mobilidade

  • Respostas sociais 

 

No final de cada ficha incluímos o link ao arquivo digital do Google Drive construído coletivamente. 

PANORAMA GENERAL

SITUAÇÕES EM COMUM

Países onde acontece

Em nome de salvaguardar a saúde pública e evitar a propagação da Covid-19, foram fechadas as fronteiras nacionais nas Américas. Independente das circunstâncias particulares, como a existência de povos transfronteiriços ou de zonas de deslocamento forçado, foram redobrados os controles migratórios e, em alguns casos, as fronteiras foram militarizadas. Se a livre mobilidade foi pelo menos um ideal, atualmente parece ser a maior ameaça. 

Fechamento De Fronteiras E Hipervigilância

RESPOSTAS SOCIAIS

PRÓXIMOS EVENTOS

POSTER-3ER-CONVERSATORIO_v2.jpg

SITUAÇÕES POR PAÍS

América do Norte

Caribe

América do Sul

VEJA NOSSOS EVENTOS

Para ver mais visite nosso canal no YouTube

Redes Amigas

Na Fronteira Sul do México há duas iniciativas vinculadas ao “El Colegio de la Frontera Sur” e ao projeto “Cátedra CONACYT” nos quais trabalham seus coordenadores, Sergio Prieto e Abbdel Camargo. 

 

O “Observatorio de Movilidades y Territorios-OMT” propõe o levantamento, a apreciação, a obtenção e/ou sistematização de dados especificamente vinculados aos aspectos chave da região, mediante um monitoramento permanente do território e das (i)mobilidades. 

 

O “Laboratorio de Investigaciones Transfronterizas-LIT” pretende superar as limitações estadocêntricas da definição tradicional de “fronteira”, mediante abordagens complexas e inovadoras aos territórios fronteiriços, apontando a análise em comparação a outras regiões fronteiriças globais.

Em meados de março de 2020, praticamente todos os países do continente declararam emergência sanitária, fecharam suas fronteiras e adotaram uma série de medidas excepcionais para provocar a imobilidade forçada que promete combater o vírus. Foi nesse contexto que mais de 30 pesquisadorxs das Américas, analítica e politicamente interessados ​​no tema da migração, nos reunimos virtualmente e começamos a nos perguntar sobre a situação particular de milhões de migrantes mulheres, homens, crianças e adolescentes, do continente ou de outras latitudes, todos sujeitos em movimento.

E-mail: covid19inmovilidad@gmail.com

Ideia original: Soledad Álvarez Velasco, Universidade de Houston

Coordenação geral: Soledad Álvarez Velasco, University of Houston y Ulla D. Berg, Rutgers University

Pesquisa, sistematização e desenvolvimento de conteúdos: Soledad Álvarez Velasco, University of Houston;  Ulla D. Berg, Rutgers University; Lucía Pérez-Martínez, FLACSO-Ecuador; Mónica Salmon, New School for Social Research; Sebastián León,  Rutgers University.

Coordenação de mapa polifônico: Iréri Ceja Cárdenas: Museo Nacional/ Universidad Federal de Rio de Janeiro

Assessoria do projeto: Nicholas De Genova, Universidad of Houston.

Equipe de tradução espanhol- inglês: 

Soledad Álvarez Velasco, Mónica Salmón, Ulla Berg, Luin Goldring, Tanya Basok, Ingrid Carlson, Gabrielle Cabrera.

Equipe de tradução espanhol- português: 

Iréri Ceja, Gustavo Dias, Gislene Santos, Elisa Colares, Handerson Joseph, Caio Fernandes, María Villarreal.

Design e desenvolvimento da página web: ACHU! Studio; Francisco Hurtado Caicedo, Observatorio Social del Ecuador.

Fotografía: David Gustafsson y Cynthia Briones.

Vídeo: David Gustafsson.

Alguns das e dos pesquisadores deste projeto são membros destes Grupos de Trabalho de CLACSO:

Inscreva-se para receber atualizações:
Fronteras OK-blanco.png

Design

.

logoachu.png